Sua primeira bike? Saiba porque adquirir uma ADX!

A linha ADX Audax 2020 pode ser a escolha perfeita para quem deseja iniciar no mundo das trilhas.

Postado por AMÁLIA SARAIVA, em 26/06/2020 às 10:06

Audax ADX ano 2019 . Foto: Reprodução.

 

O mundo das bicicletas pode ser um pouco confuso para aqueles que pensam em adquirir sua primeira Mountain Bike. Dúvidas como ‘que bicicleta devo comprar?’, ‘qual tipo de transmissão é a ideal?’, ou ‘que tipo de quadro melhor se adequa a meu biotipo?” são frequentes para os iniciantes. Pensando nisso, traremos nesse artigo cinco motivos para você adquirir uma ADX como sua primeira companheira de pedal.

A linha ADX é composta por cinco modelos, que incluem geometrias voltadas para o biotipo feminino (ADX 101), ou masculino e mistos (ADX 100, ADX 200, ADX 300 e ADX 400). Divertidas e com design exclusivo, cada modelo apresenta configurações diversificadas para atender às necessidades dos ciclistas.

ADX 100

Com geometria e configurações básicas, este modelo se enquadra no clássico das mountain bikes voltadas para estradões. Possui quadros que variam entre os tamanhos 15”,17”,19” e 21”, e um design “clean” com cabeamento interno. A tecnologia Triple Butted, aplicada no quadro de liga de alumínio 6061, oferece maior leveza por conter variações nas espessuras dos tubos (mais “finos” nos pontos de menor tensão e “reforçados” nos pontos de maior tensão). A configuração das transmissões de dianteira (Shimano Altus M2020) e traseira (Shimano Altus M2000), junto ao pedivela de duas coroas (Shimano Altus MT101-2) oferecem até 18 velocidades, com uma troca consistente da marcha, de maneira exata e confiável. Com tudo isso, a suspensão Suntour XCM 30, com trava no guidão, garante o conforto e segurança, combinada ao sistema de freios hidráulicos Tektro M285.

Audax ADX 100, ano 2020. Foto: Reprodução

ADX 101

O modelo 101 desta linha é voltado para o biotipo feminino, especialmente por possuir o top tube menos elevado, com tamanhos de quadros 13”,15” e 17”. Sua composição é semelhante ao modelo 100, apresentando 18 velocidades com o mesmo câmbio dianteiro (Shimano Altus M2020), câmbio traseiro (Shimano Altus M2000) e pedivela com duas coroas (Shimano Altus MT101-2), além dos freios hidráulicos Tektro M285 e suspensão Suntour XCM 30, com trava no guidão.

Audax ADX 101, ano 2020. Foto: Reprodução 

ADX 200

O destaque desta bike, além de suas cores encantadoras, é seu sistema de cambio traseiro (Shimano Acera M3000) e dianteiro (Shimano Alívio M4020 – M Side Swing), que possuem maior eficiência na troca de marchas, com menos força de operação, dando um desempenho mais leve e suave. Possui ainda pedivela (Shimano Alivio MT210 – 2) com duas coroas, garfo Suntour XCM 30 com trava no guidão e freios hidráulicos Tektro Auriga, de maior precisão na frenagem. O quadro é composto pelo alumínio 6061 T6, com cabeamento interno e tecnologia Triple Butted.

Audax ADX 200, ano 2020. Foto: Reprodução

ADX 300

Aprimorando a absorção de impactos, a suspensão Rock Shox XC30 29 com mola e trava no guião melhora a leitura de terrenos mais robustos. A tecnologia do quadro ADX 300 é composta pelo alumínio 6061 T6, também Triple Butted, com cabeamento interno. A transmissão dianteira (Shimano Alivio M4020 – D Side Swing, Direct Mount), fixada com parafuso, dá maior precisão na regulagem, com desempenho suave na troca de marchas. A bike apresenta freios hidráulicos Auriga e caixa de direção semi-integrada.

Audax ADX 300, ano 2020. Foto: Reprodução

ADX 400

O modelo mais top da linha traz uma configuração mais avançada. A ADX 400 foi projetada para que o ciclista tenha uma maior segurança em trilhas mais técnicas, com a suspensão Rock Shox Recon RL Air 29, tendo 100mm de curso e trava no guidão, além de freios hidráulicos Shimano Deore MT50, de alta potência. Com 20 velocidades, a agilidade fica por conta do cambio traseiro (Shimano Deore M6000) e dianteiro (Shimano Deore M6020 – D Side Swing, Direct Mount), junto ao pedivela de duas coroas (Shimano Deore M6000 – 2). Não há duvidas que esta bike é ideal para grandes aventuras.

Audax ADX 400, ano 2020. Foto: Reprodução

Minha Primeira ADX

Em Guaramirim, interior de Santa Catarina, a ciclista Gabriela Scherpinski, de 16 anos, adquiriu sua primeira Audax ADX 400 na busca de uma bike que pudesse lhe proporcionar maior conforto. “Quando quis trocar de bike, me identifiquei muito com a ADX 400 pelo seu design e configuração. Fui até uma revenda Audax para testá-la e notei que meu corpo se encaixou perfeitamente naquela geometria e logo comprei. Meu primeiro pedal com ela foi em um percurso de 62km com 1.032m de altimetria acumulada, o que não é tão recomendado fazer com uma bike que você não pedalou antes, pois não estamos acostumados com o equipamento, mas consegui completar sem desconfortos. No final estava impressionada com a qualidade do equipamento. Atualmente, estamos juntas há um ano e dois meses, e a apelidei carinhosamente de ‘Blue Machine’, minha companheira dos pedais mais radicais que já fiz com muita qualidade”, conta Gabriela.

Gabriela e sua 'Blue Machine', em Guaramirim - SC. Foto: Arquivo Pessoal.  ​​​​